Como capturar clientes com Pokémon GO!

Finalmente o jogo mais esperado do ano desembarcou no Brasil e não podemos deixar de lado o número de empresas e pessoas que já estão movimento o mercado por conta do sucesso estrondoso do aplicativo, que se tornou uma verdadeira “pokeconomia”.

Mais popular que o Tinder e mais utilizado que o Whatsapp ou o Instagram entre os americanos, o jogo já rendeu bilhões de dólares aos seus desenvolvedores, e ao menos que você estivesse isolado em uma ilha por esses tempos, já ouviu falar dele também, talvez até esteja procurando por um Pokémon agora.

O Pokémon GO revolucionou o mercado e trouxe a realidade aumentada para o seu smartphone, um tipo de mídia que mistura o mundo real com elementos criados virtualmente.

No jogo o jogador visualiza seus arredores na tela do celular capturados pela câmera, e o aplicativo insere os Pokémon nesses lugares, o que amplia os horizontes para a divulgação Geolocalizada.

Podemos agora idealizar uma nova ferramenta de Marketing, o Social GeoMarketing.

Nos EUA encontramos exemplos perfeitos de adaptações dos negócios para chegada do aplicativo, como uma loja de roupas em Utah que descobriu que sua localização no jogo era na verdade um Pokéstop .

Aproveitaram a chance rapidamente e colocaram uma sinalização fora da loja dizendo que ali estava um Pokéstop, convidando as pessoas a tirarem fotos paras as redes sociais, incentivando os jogadores a marcar sua loja nos post.

Ou então uma agência de publicidade em Atlanta, que está usando um Café para experimentar como a mania Pokémon Go funciona no marketing.

O café está localizado entre dois Pokéstops. Como o jogo leva os jogadores para pontos, a loja esta sendo usada como um centro de apoio aos jogadores, disponibilizando 25 estações de carregamentos de celulares e um pedaço de bolo para os clientes que pegarem Pokémon dentro de seu estabelecimento.

pokemon 2

A cozinha do Zoe no Texas ofereceu um cartão de 25 dólares como um prêmio para pessoas que os twittarem fotos de suas capturas de Pokémon no restaurante.

L’inizio, uma pizzaria em Nova York aumentou 75% de suas vendas usando as iscas para atrair Pokémon para seu estabelecimento. Estas iscas servem para atrair Pokémons por 30 minutos.

No Brasil, o destaque vai para os motéis, que com sacadas engraçadas e trocadilhos maliciosos chamaram atenção e tiraram risadas de muitos internautas.

É com certeza uma maneira criativa de captar novos clientes.

O CEO da Niantic, John Hanke, revelou ao jornal Financial Times que o plano da empresa agora é criar “locais patrocinados”, onde uma marca pagaria para aparecer como um local dentro do universo do jogo. E o pagamento às marcas seria por número de visitas, ou seja, aos moldes dos anúncios de sites que recebem por cliques ou visualizações.

O mais atrativo do anúncio com certeza é a variedade de pessoas atingidas. O desenho Pokémon existe a mais de 20 anos, trazendo um público nostálgico com seus 30, 40 anos, até a nova geração, que com certeza embarcou nessa brincadeira.

Ficou morrendo de vontade de criar um pokéstop e atrair todo mundo para o seu negócio?

Você pode requisitar a criação de Pokestop através do link abaixo. Mas deixamos claro que não é garantido, mas tentar não custa nada né?

https://support.pokemongo.nianticlabs.com/hc/en-us/requests/new?ticket_form_id=319928

Boa caçada!

anigif_longform-original-13841-1459912948-4

Por que o Facebook está apostando tudo no Live?

Embora o Live do Facebook tenha começado como uma ferramenta para celebridades, depois da abertura para o público em geral, tal ferramenta cresceu muito rápido junto ao perfil demográfico no qual Zuckerberg mira daqui há 5 anos.

As janelas cruas e sem filtro para a vida dos outros são a grande novidade nas mídias sociais. Vários aplicativos lançados no ano passado e este ano – Periscope, Meerkat, Peach e Beme, entre outros – tentam aperfeiçoar esse tipo de experiência. E é exatamente isso o que o Snapchat faz tão bem – e o motivo pelo qual o aplicativo se tornou uma ameaça tão grande para o Facebook. Claramente é algo em que Zuckerberg também está pensando.

De fato, uma tendência recente nas mídias sociais é um distanciamento gradual de conteúdos altamente produzidos, particularmente no que diz respeito aos vídeos.

Muitas das funcionalidades do Live parecem ter sido pensadas para reforçar essa sensação de algo cru, algo que não tenha sido pensado nem ensaiado. É por isso que a empresa investiu tanto para reduzir a latência, ou o pequeno delay que as vezes acontece.

A ideia é que a audiência possa assistir e comentar os vídeos ao mesmo tempo, e quem transmite possa acompanhar e responder as interações em tempo real. O Live também tem uma nova função de busca para te ajudar a descobrir novos conteúdos. E o Facebook dá sugestões para que você sempre tenha algo para assistir.

Antes, os usuários só podiam postar reações estáticas aos vídeos – um “joinha” ou uma cara feliz. Essa era basicamente sua maneira de avaliar o vídeo. Agora, você pode reagir conforme o vídeo vai passando, e as reações aparecem num fluxo constante no pé da tela. Se for a reação de algum amigo, a foto de perfil dele também é exibida.

Além disso, se você assistir o vídeo de novo, todas as reações vão aparecer na hora certa. Se alguém deu uma curtida aos dois minutos, por exemplo, ela vai aparecer aos dois minutos quando você assistir o vídeo gravado.

Se tudo isso parece com o Periscope, o aplicativo de vídeo ao vivo do Twitter – que também mostra um mapa das transmissões, também permite reações em tempo real com ícones e também mostra as reações em comentários para os vídeos gravados? Bem, sim, as semelhanças são muitas.

Porém o que diferencia o Live do Periscope é óbvio: a audiência. E a prova disso começou quando o Facebook passou a priorizar o Live na timeline e várias empresas de mídia entraram com tudo nessa onda para construir suas audiências. O Facebook já se beneficia muito do efeito de rede, o que significa que você não precisa começar do zero quando adota o Live. As pessoas já estão lá.

Em paralelo a isso, a rede social já está criando suas próprias celebridades e gêneros. Liz Cook, uma tatuadora que trabalha ao vivo, já tem mais de 1 milhão de seguidores.Esther the Wonder Pig, que é, bem, é uma porca que faz muito sucesso. Tudo que é bizarro parece funcionar.

Parece claro onde o Facebook quer chegar com tudo isso: a TV tradicional. A empresa já tentou comprar os direitos de transmissão das rodadas de quinta-feira à noite da NFL, a liga de futebol americano (o Twitter ganhou a concorrência). O Facebook também estaria negociando com celebridades para que elas transmitam usando o Live. E, se alguém conseguir no Facebook Live os mesmos números de audiência que tem num canal a cabo (e isso é perfeitamente possível), por que investir na TV tradicional, que custa muito mais caro?

As escolhas das emissoras de TV podem ser infinitas, mas sua atenção, não. Embora o Live não signifique o fim da TV como a conhecemos, de uma coisa podemos estar certos: é o começo de algo novo. Vamos ficar de olho!

Waze-Planned-Drives_All-iOS-Screens-English_US

Atualização do Waze prevê condições de trânsito baseado onde você for

Waze colocou em prática seus poderes de tráfego para melhor uso do app.

Esse novo recurso chamado unidades planejadas, torna mais fácil planejar viagens com base no tráfego que você pode encontrar. A atualização também ajudará automaticamente planejar rotas com base em sua programação.

O recurso, que foi lançado quarta-feira para iOS e estará disponível para Android em breve, acrescenta uma nova seção de unidades planejadas do aplicativo quando você procura um local específico. Depois de pesquisar, você pode selecionar quando você quer chegar e o aplicativo irá sugerir quanto tempo a viagem deve tomar.

Waze-planned

O Waze faz suas previsões tendo em conta as condições de tráfego esperado com base em algoritmos inteligentes, histórico de trânsito e análise parecida.

Dicas: vincular Waze ao seu calendário de eventos no Facebook ajuda a planejar automaticamente suas rotas e você recebe uma notificação quando é hora de sair. A experiência deve ser familiar para aqueles que tenham optado por Google Now, que fornece previsões semelhantes com base em sua programação. (Google também está fazendo experiências com as direções parecidas para Maps.)

 

banner-destaque

WhatsApp: A Moustache te informa as últimas atualizações do aplicativo

Algumas novidades no WhatsApp, já anunciadas há um tempo, chegaram para atualização nos dispositivos móveis. Querem saber quais? A Moustache te fala.

A primeira mudança dentro do aplicativo é dentro da aba de “anexos”, por meio da qual tornou-se possível enviar documentos no formato PDF para seus amigos do WhatsApp.

A novidade está disponível nas versões 2.12.453 e 2.12.289 do app para Android, e na versão 2.12.4 do WhatsApp para iOS. Mesmo com a mudança, a aba de anexos continua tendo apenas seis ícones, já que as opções “foto” e “vídeo” foram combinadas em uma só opção, chamada de “Câmera”.

Por enquanto, só é possível enviar documentos no formato PDF. Arquivos do Word, PowerPoint e Excel ainda não são suportados pelo aplicativo. Vale notar, porém, que só será possível enviar o documento a um contato do WhatsApp se ele tiver recebido e instalado a atualização também.

A outra novidade é que o app para iOS agora também permite saber se as pessoas leram ou não seu recado direto da tela inicial do app, com tiques azuis ao lado de cada chat. A novidade já estava disponível para smartphones com Android, o sistema do Google.

Antes da atualização, caso você quisesse saber se alguém visualizou sua mensagem, seria preciso abrir a conversa. A nova funcionalidade descarta essa necessidade, com o tique – também chamado de “tick” ou “check” – azul duplo ao lado da conversa, confirmando o recebimento e a leitura da última mensagem enviada para cada contato.

Material-Design-version-of-WhatsApp

E aí, gostaram das novidades?

facebook-reactions

Facebook: Como o botão reactions pode afetar nas métricas

Facebook

possui  um algorítimo chamado EdgeRank que impacta diretamente no alcance das postagens que você faz definindo a relevância que essas postagens possuem.

Se você não sabe o que é essa ferramenta, te damos uma breve explicação antes de aprofundarmos no assunto: O EdgeRank é um critério para avaliação de tudo que é postado na página e seu impacto sobre a audiência. É baseado nele por exemplo, que o Facebook determina o que deve ou não ser exibido no Feed de Notícias dos fãs da página.

Segundo informações disponibilizadas pela própria central de ajuda do Facebook esses novos botões de reação terão o mesmo peso que a “curtida” tradicional, o que significa que a contabilização desses novos botões será diferente do que ocorria antes com o algorítimo onde cada opção (curtir, compartilhar, comentar) tinham pesos diferenciados.

O Facebook ainda está testando esses botões, mas o que sabemos é que até então eles influenciam os anunciantes da seguinte forma:

  • As métricas que são relacionadas ao botão de “curtir” também passam a abranger os botões de “reação”, no entanto não é possível ver os dados das reações individualmente;
  • A única forma de ver esses dados separadamente é através do Facebook Insights;
  • Como já mencionado o peso das reações é equivalente ao peso de uma curtida, por exemplo: O botão de “triste” possui o mesmo peso que o botão “curtir”;
  • Você não pode remover uma reação após utiliza-la, assim como a opção “curtir”.

Você tem um motivo para se preocupar:

Apesar de em proporções de anúncios, investimentos e criação de campanhas e, as alterações ainda demonstrarem pouca influência, em termo de conteúdo e alcance temos que levar em consideração um fator importante

O fato é que essas expressões são expressões de valores distintos. Existe uma diferença entre a expressão de “raiva”, a expressão de “triste” e a expressão de “amei”.

Se os usuários podem expressar variedades de sentimentos deveríamos ser capazes de ter métricas com pesos distintos para esses sentimentos. Para que você entenda melhor irei dar um exemplo prático:

Tal empresa faz uma determinada postagem e recebe várias curtidas. Curtidas são retorno positivo, logo, essa empresa resolve impulsionar esse post para conseguir mais resultados. Agora imagine esta mesma empresa, fazendo o mesmo post porém recebendo várias reações de “raiva”. Esse retorno é negativo, porém, como o peso é considerado igual e as métricas não são claras eles resolvem impulsionar esse post, afinal, as métricas de curtidas então boas. Só que ao fazer isso ao invés de atraírem resultados positivos estão atraindo resultados negativos.

Acredito que após a fase de testes a questão das métricas melhore, mais até lá, é bom ter atenção para não errar na hora de fazer impulsionamento.

Atenção às métricas:

A novidade dos botões de reação é um avanço para a usabilidade do Facebook, apesar de ainda não podermos dizer o mesmo da mensuração disso. Enquanto muitas respostas ainda não nos foram reveladas o jeito é ficarmos mais atentos com o que já conhecemos.

Mensurar métricas são cruciais para o seu sucesso na Internet, por isso você deve fazer isso regularmente.  A dica é ficar de olho na diversidade de reações que seus posts irão receber através dos dados de alcance individuais de cada postagem.

78787

WhatsApp bloqueou. E agora?

A justiça determinou o bloqueio do WhatsApp em todo o território brasileiro durante 48h, valendo a partir do dia 17/12 às 00:00h. A ação resultou no bloqueio do aplicativo pra mais de 100 milhões de pessoas no país, alegado sob uma investigação criminal no estado de São Paulo que está ocorrendo sob sigilo na Justiça Federal.

download (1)
Já nas primeiras 3 horas após a notícia ter sido divulgada, mais de 500.000 pessoas aderiram ao app concorrente, o Telegram e, até agora, mais de 1.5 milhões de pessoas já estão utilizando o aplicativo como forma substitutiva do WhatsApp.

 

É possível que você consiga usar o mensageiro com alguma VPN, camuflando sua localização no globo e redirecionando seu tráfego por outro país, mas não há certezas quanto a isso e não recomendamos. E, afinal, de quê adiantaria você ter todo esse trabalho e seus amigos e familiares não conseguirem fazer o mesmo?

Outras alternativas são outros aplicativos tão bacanas quanto o Whatsapp. Como por exemplo:

1. Telegram Messenger

Totalmente gratuito (e sem propagandas) ele substitui muito bem o famoso app de mensagens, oferecendo bons recursos para conversas com texto e imagens.

2. Viber

Uma das melhores opções para quem quer sair do WhatsApp. Este programa também usa seu número de telefone como principal informação de contato, permite a troca de mensagens e inclusive a realização de chamadas.

3. Facebook Messenger

O aplicativo do Facebook permite que você se comunique com todos os seus amigos da rede social e tem as mesmas funcionalidades do WhatsApp: mensagens texto, voz, fotos, vídeos e figurinhas. Para ter acesso, é preciso baixar o app, que está disponível para Android, iOS e Windows Phone.

Não quer nenhum outro aplicativo além do WhatsApp e precisa se distrair? O Spotify fez uma playlist de 48 horas para você “aproveitar” esse tempo sem Whats:

shutterstock_139655147

Erros que destroem a página da sua empresa nas redes sociais

As redes sociais não servem apenas para aproximar pessoas, elas também servem para alavancar seu negócio. Criar uma fanpage no Facebook, um perfil no Twitter ou no Instagram é uma forma de divulgação e captação de novos clientes para o aumento de vendas.

Para não dizer que apenas um perfil basta, nosso head de mídia, Flávio Luizetto, em matéria no site da Exame.com, citou quatro passos para uma boa administração de sua página: presença, ativação, engajamento e conversão. “Tenha um site, vídeos no YouTube, uma fanpage; divulgue esses meios para clientes e anunciantes; faça os seguidores se engajarem com o que é produzido; e, por fim, use o digital para gerar negociações online e offline, complementando as ações”.

De acordo com Luizetto, antes de sair criando a página da sua pequena empresa no Facebook ou no Instagram, você precisa fazer algumas perguntas: seu canal de atendimento ao consumidor está desorganizado? Sua empresa recebe muitas críticas em sites como o Reclame Aqui? Se a resposta a essas questões for afirmativa, talvez seja melhor esperar para entrar nas redes sociais.

“O principal segredo para entrar no digital – e no social – é saber se o produto e o atendimento estão bem formatados. As redes não fazem um negócio ser automaticamente melhor. Sem essa percepção, a página vira um canal de reclamações”, explica.

Criar uma página para abandoná-la depois é ruim para o seu negócio, pois manter esse canal de comunicação é fundamental para o sucesso do seu negócio – inclusive financeiro. Tem que tentar sempre se manter em contato com o público que resolveu seguir sua empresa, porque essas pessoas são clientes em potencial e vendas podem surgir dessas postagens.

Na dúvida, poste. “No mínimo, tenha um conteúdo por dia. Quanto mais postagens a página tiver, melhor é a avaliação dela para o algoritmo do Facebook”, explica Luizetto. É possível agendar matérias para o final de semana caso você não queira ou não consiga trabalhar nesses dias.

Lembre-se: o perfil do seu empreendimento está aberto para todos verem. Qualquer postagem ou resposta sua será visível mesmo para quem não é seu seguidor. Por isso, a palavra de ordem é cautela. É melhor informar o cliente que sua empresa entrará em contato com ele por meio de outro canal do que deixar todo o processo de atendimento lá na página, para todos verem.

Ouça sempre os seus clientes: eles podem ajudar a antecipar possíveis crises e antecipar ideias de negócio. Por exemplo, se um consumidor reclamar de algum produto, é possível resolver o problema antes que uma crise aconteça.

Um erro comum de empreendedores que possuem pequenos negócios é misturar a página pessoal com a página da empresa. Quando falamos de empreendimento, é preciso postar apenas o que interessa ao seu público-alvo, e não opiniões pessoais.

Segundo Flávio, é preciso ter menos vaidade por parte da marca e mais prestação de serviço. “O social funciona bem quando você tem uma boa curadoria de conteúdo. É igual uma loja: além de uma vitrine bonita, é preciso ter bons produtos, e não apenas marcar presença”. Isso trará seguidores de verdade, e não os famosos “likes comprados”.

Ainda falando sobre postagens, não basta postar com frequência: é preciso analisar quais postagens dão certo, que trazem mais resultado, como por exemplo: imagens ou textos? De que tipo? É preciso mensurar isso, analisar a interação e ver o que atrai mais seguidores.

Por meio desse exame de indicadores é possível verificar qual rede social traz mais benefícios ao seu negócio e, portanto, merece maiores investimentos.

Luizetto recomenda resgatar as postagens de maior sucesso, após a análise de resultados ter sido feita. “Faça um planejamento anual, com revisões trimestrais. É difícil planejar o ano todo, mas tenha uma ideia inicial. A cada três meses, você olha os relatórios e retoma o que deu mais certo.”

Algumas ferramentas ótimas para ajudar no acompanhamento dos negócios nas redes sociais são Google Analytics, Google Adwords e Buzzmonitor.

dlltm0p7i7g5k1losmsq

O YouTube Red chegou. E agora?

O YouTube Red é a mais nova invenção de streaming na web. Na tentativa de competir com grandes nomes do streaming como Netflix, o YT Red chega com um serviço em que você paga U$9.99 mensais e tem acesso a recursos premium, como conteúdo exclusivo para assinantes e a possibilidade de não haver mais anúncio aparecendo nos vídeos do site.

A plataforma ainda chega com serviços como a possibilidade de download dos vídeos, salvá-los para ver offline e também continuar ouvindo o som do vídeo em background em aparelhos mobile – o que é algo que muitos usuários pedem faz tempo. O YouTube Red também vem com a possibilidade de inscrição para o YouTube Music, anteriormente um serviço de streaming de música do Google Play e, os assinantes do serviço já tem acesso garantido ao YouTube Red sem custos adicionais.

Não é a primeira vez em que o YouTube tenta introduzir um serviço pago – anteriormente a rede já havia tentado cobrar U$0.99 para conteúdos exclusivos para usuários, mas a tentativa foi em vão – porém o YouTube Red tem um alcance muito maior e se baseia na linha de plataformas de streaming que estão fazendo muito sucesso, como Netflix, HBO e Amazon.

A nova plataforma do YouTube, no entanto, é um ponto de vantagem na história da internet. Embora seja improvável que o serviço faça um grande impacto, se houver, fará sobre a forma como a maioria de nós consumimos o nosso conteúdo online, mostrando o sinal da mudança dos tempos na medida em que mais e mais serviços estão pressionando por exclusividade rigorosa e a focalização no sentido de conteúdo premium.

Com isso em mente, comparar YouTube e Netflix talvez seja irrelevante, pois enquanto ambos fornecem os mesmos tipos de conteúdo, os dados demográficos são bastante variados. Para YouTube, o grupo demográfico é tipicamente muito mais jovem que a média do Netflix, que visa um público um pouco mais velho. Eles não se sobrepõem em diferentes áreas, mas de um modo geral eles são largamente independentes um do outro.

O YouTube Red por enquanto está apenas disponível nos Estados Unidos, mas em breve será liberado no mundo todo. E aí, o que você espera dessa nova plataforma?

11802715_980324738657687_374200559074985819_o

A Moustache é Marfrig!

A Marfrig é uma empresa global de alimento à base de carnes bovina, suína, aves e peixes.

Foi fundada em 1986 e é composta por unidades produtivas, comerciais e de distribuição instalada em 16 países nos cinco continentes. Considerada uma das companhias brasileiras de alimentos mais internacionalizadas e diversificadas, seus produtos estão presentes hoje em 110 países. Além de ser uma das maiores produtoras de carne bovina do mundo, é também líder em bem estar animal e em sustentabilidade na cadeia de fornecimento de bovinos e ovinos brasileiros. É líder no segmento no canal food service, com forte presença nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro.

A Agência Moustache conquistou a conta em Outubro 2015 e, focado em resultados no Social, atuamos no Facebook e LinkedIn com ações de interação com o cliente, linha criativa, monitoramento e campanhas de CPC focadas em conversão. A Marfrig é Moustache! E você?

Conheça mais sobre Marfrig e o trabalho da Moustache no Facebook e no LinkedIn.

twitter-hearts-and-stars.0.0

Twitter troca estrelas por corações nos favoritos

Twitter está indo além para atrair mais usuários pra rede. Agora os favoritos que, antes eram estrelas, agora são corações.

No blog da rede social, o Gerente de Produção Akarshan Kumar, disse que gosta da mudança: “Sabemos que as vezes a estrela pode ser confusa, especialmente para novos usuários que não estão familiarizados com isso.”

A mudança faz parte de um upgrade da companhia para tornar o Twitter mais funcional para a audiência mais antiga das redes sociais no geral. A plataforma está tendo um sério problema para fazer a base de usuários crescer, então ajudando o público geral a entender o Twitter é um dos jeitos de fazer dar certo.

Essa é uma das novidades que o Twitter está lançando em sua rede, depois do Moments e o Twitter ads para o mundo todo.

“Likes” são comuns nas outras plataformas, como o Facebook, Youtube e Instagram. Então é algo mais familiar para pessoas não familiares com o Twitter e mais plausíveis de serem usadas (alto engajamento).

Mas nem todo mundo “gostou” do update. Muitas pessoas estão se queixando sobre, mas bom, deixa eles.

E aí, o que você achou da mudança?