kk

Campanha protesta contra a objetificação das mulheres na publicidade

Madonna Badger, fundadora e CCO da Badger & Winters Group, lançou um vídeo recentemente chamado de “We are #WomenNotObjects”. O filme de 2 minutos e meio contem uma montagem de anúncios e posts nas redes sociais nos quais vieram através da busca no Google por “objetificação das mulheres”.

Madonna, responsável pela famosa comunicação da Calvin Klein da década de 90, com Kate Moss e Mark Wahlberg expondo seus então bem jovens corpos, decidiu mudar um pouco a história e usar seu trabalho para a ‘desobjetificação’ da mulher. Difícil a palavra, não? Mas o conceito é bem simples de entender. Basta assistir ao filme e captar a mensagem:

Com cenas de propagandas reais e sarcasmo puro, o vídeo mostra como a mulher tem sido propagada pra homem ver nas últimas décadas. E assina com: “Eu sou sua mãe, filha, irmã, colega de trabalho, diretora, CEO. Não fale assim comigo”. Genial, não?

Pessoalmente, “We are #WomenNotObjects” é uma forma de homenagem de Badger às suas três filhas, que morreram com os pais da executiva em um incêndio, no Natal de 2011, uma aos 9 anos e duas, gêmeas, aos 7. Profissionalmente, jogou holofotes potentes sobre a agência localizada no coração de Manhattan, como pouquíssimas ideias seriam capazes de fazer.

Na home do site, a Badger & Winters se compromete a nunca apresentar a mulher como objeto em seus trabalhos. “In 2016, Badger & Winters made a commitment to never objectify women in our work. #WomenNotObjects”. Um compromisso que mostra como eles levam a sério o poder que a propaganda tem na construção de uma sociedade e na história.

Essa campanha é voltada para o mercado norte-americano, mas o mercado publicitário brasileiro não está tão longe disso. Ano passado, nós já chegamos a comentar por aqui sobre como a publicidade tornou a mulher em basicamente um produto.

Apesar de já ter evoluído bastante, como por exemplo novos estilos de Barbie com cabelos, cores e corpos diferentes, ao mesmo tempo regredimos, como o caso de não existir bonecas de personagens principais em filmes como Star Wars e Os Vingadores (sim, estamos falando da Rey e Viúva Negra). Mas não precisamos ficar nesse 8 ou 80 e ver o tempo todo mulheres esculpidas e desnudas do carnaval brasileiro na cultura, imagem do país e infinitas propagandas de cerveja.

Alguma coisa tem que mudar e acreditamos que, com campanhas como We are #WomenNotObjects e posicionamentos como o da Badger & Winters, seja apenas o começo de uma mudança na publicidade e o fim de tanta objetificação feminina dentro desse mundo um tanto quanto machista.

 

 

2 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *